Dizendo versos

 

Por que dizer, ler seus próprios versos? Certa vaidade, certo preciosismo de propriedade, certo encanto narcísico?

20525812_489960991351896_9041405042880462190_n

Não sei de todos os poetas, mas de alguns deles. Drummond, por exemplo, acreditava que devia dizer, ler seus versos, apenas. Concordo com ele. Quando declamamos nossos próprios versos já inserimos neles certa interpretação, certa linha de sentimentos, de sensações.

19243000_467075926973736_865517460907247230_o

Por outro lado, há poemas que nasceram para serem declamados, foram escritos para serem ditos em tom altissonante, como os versos condoreiros de Castro Alves , prontos para seduzirem a quem os ouvia nas campanhas abolicionistas em saraus, nas ruas …

Fato é que atores interpretam, dão passos além dos que havíamos dado ao saborear, namorar um belo poema. Eles sim fazem o que seu ofício lhes ensinou a fazer; não os poetas, creio eu.

20526003_489946441353351_8267711401117562859_n

O suporte para poesia é qualquer um: poste, guardanapo, lata, parede, faixa, serenata, tela tecnológica, papel, livro. Costumo fazer uma sutil diferença entre poema e poesia, contudo. Pra mim poema é um produto concreto, nascido de letras e frases. Já poesia é um processo abstrato de se enxergar a vida, cada coisa ao nosso redor: um nascer do dia, um desabrochar de flor, um riso de criança, um carinho do animalzinho, as nuvens coreografando danças nos céus … poesia vai além. É ela que distingue os seres sensíveis de outros para quem ela não tem nenhum valor. E isso nada tem a ver com instrução, estudo. Tem a ver com sensibilidade, com espírito afável a dar e receber, creio eu. Sensibilidade se desenvolve, se aperfeiçoa também.

18881883_457846677896661_6024247063305026732_n

A vida com poesia é muito maior.

Há um ano criei um canal no Youtube onde leio meus poemas. Não tem intenção monetizadora nem nada. Jamais quis sequer publicar um livro, não seria agora que gostaria de vender meus escritos então. Lá acrescento imagens e trilha sonora aos poemas. Por que faço assim? Porque sempre vivi acompanhada de música, até bem antes de aprender a ler e escrever. Gosto de concretizar imageticamente o que escrevi. E há algumas possibilidades de recepção dos vídeos: fechar os olhos e só ouvir os versos e  a trilha sonora, retirar a música e apenas ver as imagens e ler os versos … ou recebê-los como os editei.

Canal Odonir Oliveira

https://www.youtube.com/channel/UCjD6ZiLlJOgDu5-lupIiWGw

Se há prazer em escrever, há também prazer em se ler versos. Os nossos e os de outros poetas. É como se fizéssemos contato com eles, como se tivessem assoprado plumas ao vento, e nós houvéssemos conseguido recuperar algumas delas.

sopro

Texto: Odonir Oliveira

Imagens retiradas da Internet

Fotos de arquivo pessoal

1º Vídeo: CaetanoVelosoVEVO

2º Vídeo: Canal Odonir Oliveira

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s